Luta Olímpica 19/09/2013 20:56

Luta olímpica, o esporte que mais cresce no RN

Por admin

Mesmo sem qualquer tipo de apoio do poder público ou iniciativa privada, a Luta Olímpica é a modalidade esportiva que mais vem crescendo no Rio Grande do Norte e se destacando no cenário nacional, atualmente em quarto lugar no ranking. No último campeonato brasileiro, os atletas potiguares mostraram todo o seu talento conquistando 27 medalhas e três títulos. Também temos dois atletas convocados para a seleção brasileira e a campeã brasileira estudantil, Heloisa Martinez, apontada como uma provável promessa olímpica.
Para explicar a incrível evolução da modalidade esportiva no estado, que há pouco tempo sequer era divulgada, o site a procura do presidente da Federação de Luta Olímpica do Estado do Rio Grande do Norte (FLOERN), Carlos Alexandre. “O sucesso dessa ascensão deve-se em primeiro lugar ao talento de nossos atletas, do comprometimento dos treinadores e do trabalho realizado pela federção, pois mesmo diante das dificuldades, nunca desistimos”, explica o dirigente. Para conseguir a proeza de conquistar 27 medalhas no campeonato brasileiro foi necessário tirar dinheiro do próprio bolso. Sem apoio e patrocínio, Carlos Alexandre gastou R$ 9 mil só de passagens aéreas para as etapas do Rio de Janeiro e depois Espírito Santo.

Equipe potiguar vem conquistando resultados expressivos no cenário nacional

Equipe potiguar vem conquistando resultados expressivos no cenário nacional. Atletas ao lado dos técnicos Rosilene e Fernando Macaibinha, no ginásio do Caic.

O esforço valeu a pena. Lorena Damásio conquistou o primeiro ouro para o RN na categoria júnior (greco-romana), Rafael Nascimento o outro ouro na cadete (wrestling) e Michael Douglas conquistando o terceiro ouro na luta greco-romana, cadete. Mas as conquistas não param por aí. Wagner Menezes, vice-campeão brasilerio sênior, foi convocada para integrar a seleção brasileira de luta olímpica. Em julho, representou o RN e o Brasil no University, na Rússia, e foi o único atleta brasileiro a pontuar. O segundo atleta potiguar convocado é Ramon Denier, uma grande promessa nacional, e que está sendo preparado pela comissão técnica da seleção. O Rio Grande do Norte também possui a campeã brasileira estudantil, Heloisa Martinez. Aos 12 anos, ela é encarada pelos técnicos como uma grande promessa olímpica. “Heloisa é muita rápida e forte, tem um potencial que poder ser trabalhado para competições internacionais e tem chances reais de no futuro representar o Rio Grande do Norte numa Olimpíada”, revelou o treinador Fernando Antônio. Nos Jogos Escolares da Juventude, o RN sagrou-se vice-campeão, conquistando sete medalhas e uma por equipe, superando a delegação da Amazônia, a segunda no ranking nacional.
Um esporte de inclusão social
Por ser uma prática esportiva de baixo custo, a Luta Olímpica foi batizada de esporte da inclusão social. “A luta olímpica é um esporte acessível e que toda escola pode ter, e diante do baixo custo, ainda é muito pequeno o número de praticantes no estado, cerca de 150 atletas”, disse Carlos Alexandre. Sem recursos, a federação vem buscando parcerias com as prefeituras da grande Natal.  Macaíba e Parnamirim estão se empenhando e em breve, dois projetos para atender 200 crianças, cada, serão lançados pelos municípios. “A falta de apoio da Secretaria Estadual de Esportes nos obrigou a buscar parcerias com as prefeituras que estão enxergando na luta olímpica uma maneira barata de garantir a prática esportiva nas escolas, melhorando o rendimento escolar e promovendo a inclusão social, pois esse aluno além de treinar e interagir com outras crianças e treinadores, irá competir e quem sabe iniciar uma carreira no esporte”, explica o presidente da FLOERN. A federação também possui um projeto no bairro Felipe Camarão e no Caic proporciona aulas abertas ao público todas as quartas-feiras. O crescimento da Luta Olímpica é tanto, que a Secretaria Estadual de Educação decidiu incluir a modalidade nos Jerns de 2013.