Taekwondo 21/08/2014 00:00

Atleta radicado no RN conquista ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude

Por admin

usar

Edival usou Natal para se preparar para a competição (Divulgação/COB)

Uma nova página de história do Taekwondo Brasileiro foi escrita ontem. O jovem paraibano radicado em Natal Edival Marques conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos da Juventude que estão sendo disputados na China, tornando-se assim o primeiro campeão olímpico da modalidade, no Brasil. O novo campeão olímpico juvenil -63Kg não esconde a felicidade, mas ainda não sabe traduzir em palavras o que sentiu no momento em que o árbitro validou o seu último ponto sobre o adversário mexicano José Nava Rodriguez, na final.

“Em primeiro lugar, como sempre, agradeço a Deus e, abaixo Dele, à minha família, que nunca desistiu de mim no esporte. Agradeço a toda a minha base na Paraíba, ao Ms. Rivanaldo Freitas e a toda a galera do Rio Grande do Norte, que me apoiou lá e me tratou como alguém da família. Agradeço à Nova CBTKD, em especial ao GM Carlos Fernandes, juntamente com Ms. Jadir Figueira. Liderando a Nova CBTKD, eles vêm à frente desse grande trabalho que está gerando bons frutos no Taekwondo Nacional e influenciando positivamente não só a minha carreira, como a de muitos outros atletas por todo o Brasil”, disse ele após a conquista inédita em Nanquim. Um dos fatores apontados como crucial para a vitória de Edival veio da relação dele com o técnico potiguar Rivanaldo.

“Eu não tenho palavras para falar do quanto a nossa sintonia prevaleceu nessa competição, sobretudo na final. A convivência com ele há um bom tempo ajudou muito no meu resultado, que é fruto de um grande trabalho , de força , dedicação e fé. Só tenho a agradecer ao Ms. Rivanaldo, sobretudo por confiar em mim na hora da luta”, afirmou o campeão. Para ser campeão, Edival, que já havia se sagrado campeão mundial em 2014, teve três lutas, sendo a mais dura a finalíssima contra o mexicano José Ruben, vencida no último segundo da luta.

S”em dúvida, os segundos finais da minha última luta, contra o atleta mexicano José Nava Rodrigues, foram muito emocionantes. Ele empatou a luta no final (6×6), mas faltando apenas um segundo para terminar, consegui fazer meu sétimo ponto. Ele ainda tentou a anulação desse ponto, usando o cartão, mas o árbitro validou realmente a minha vitória. Acho que esses últimos segundos foram também os mais difíceis para mim. Quando o mexicano empatou, eu quase não tinha mais fôlego para ir buscar o último ponto que me daria a vitória. Mas Deus me deu aquelas últimas forças para eu conseguir fazer o último ponto e ganhar”, relembrou.

Novos rumos

Depois da medalha de ouro, Edival vai mudar de cidade. Ele agora irá treinar com seu ídolo no taekwondo, Guilherme Dias, na academia do técnico Frederico Mitooka, da Associação Piracicaba de Taekwondo, já um centro de referência da modalidade no interior de São Paulo.