Geral 17/11/2014 06:00

RN encerra Jogos Escolares com nove medalhas e um acesso

Por admin

23

Estado foi representado por 193 atletas (Divulgação)

O Rio Grande do Norte encerrou os Jogos Escolares da Juventude para atletas entre 15 e 17 anos disputado na Paraíba com nove medalhas e um acesso para a Primeira Divisão, conquistado pela equipe feminina do Henrique Castriciano no voleibol. Ao todo, o estado enviou 193 atletas que competiram nas 13 modalidades do evento, sendo atletismo, badminton, basquete, ciclismo, futsal, ginástica rítmica, handebol, judô, luta olímpica, natação, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia e xadrez.

Das nove medalhas, foram cinco de bronze, três de prata e apenas uma de ouro, que veio em grande estilo com a vitória de Lucas Basílio, de 16 anos, no salto em distância, atingindo 7,44 metros, novo recorde dos jogos. A marca do potiguar, aluno do Colégio Marista, foi a segunda melhor marca do país e a 14ª do mundo nesta categoria em 2014.

Outras medalhas para o estado vieram  no judô, na luta olímpica, na natação, no lançamento de Dardo e no vôlei de praia. A competição foi encerrada no sábado (15). Ao todo, os jogos envolveram aproximadamente 4.700 pessoas, entre 3.900 atletas, além de técnicos e dirigentes dos 26 estados brasileiros, mais o Distrito Federal e uma delegação da cidade sede. Para o diretor-geral dos Jogos, Edgar Hubner, o evento em João Pessoa atingiu todos os seus objetivos, contribuindo para a inserção social da juventude através do esporte e ajudando na detecção de talentos para o esporte nacional.

“O balanço desta edição dos Jogos Escolares da Juventude é extremamente positivo. O evento já se consolidou como a mais importante competição esportiva estudantil do país. Em João Pessoa, vimos talentos  começarem a despontar no cenário esportivo, mas o mais importante é percebermos que estamos dando oportunidade para um número cada vez maior de jovens se inserirem socialmente através do esporte”, disse Edgar, gerente de Juventude e Infraestrutura do COB. “Nosso grande desejo é ver dentro do ambiente escolar a formação de base que já está revelando representantes em nível internacional”, completou.