Handebol 05/05/2016 06:57

Federação realiza seletiva cadete de handebol

Por admin

A Federação Norte-rio-grandense de Handebol realizou na última sexta-feira (29), a seletiva cadete para os atletas – masculino e feminino – nascidos nos anos de 200 e 2001. Se inscreveram os números expressivos de 30 atletas do feminino e 40 no masculino. A abertura contou com a presença do professor Flávio Tinôco, atual presidente da FNH, que abriu os trabalhos e falou aos professores e atletas.

Professor Flávio Tinoco vem fazendo um excelente trabalho de recuperação da FNH

Professor Flávio Tinoco vem fazendo um excelente trabalho de recuperação da FNH

Segundo o professor Jorge Fernandes, encarregado de organizar a seletiva, o trabalho inicial consistiu em recolher os dados pessoais dos atletas e algumas medições antropométricas. Posteriormente, os garotos foram agrupados por idades, e foram constituídas equipes para ver em situação de jogo. Na oportunidade, ainda segundo o professor Jorge, foi preenchida para cada atleta uma ficha com uma escala de avaliação das fases do jogo.

Nesta primeira fase, e até 19 de Agosto, o trabalho incidirá com os jogadores nascidos em 2000 e 2001. Durante este período, procedimento com os atletas da faixa etária de 2002 e 2003 serão realizadas somente as medições antopométricas em laboratório numa parceria que a FNH está fechando com a UFRN. Nesse período os professores responsáveis, destaca Jorge Fernandes, farão uma avaliação da maturação desses atletas, que é um fator determinante na detecção de talentos.

A periodicidade dos treinamentos, definido pela coordenação, será duas vezes por semana e decorreram durante o ano esportivo completo. Os treinamentos terão início na semana de 16/05/2016. A FNH pretende com isso fazer muito mais que uma seleção para representar anualmente o Estado na Copa Nordeste Cadete, e sim, um Centro de Tecnificação.
Contatos e entendimentos estão em fase adiantada para que a entidade consiga a colaboração de Psicólogo e Nutricionista para fazer acompanhamento dos jovens valores.

“O mais relevante de tudo isto é que nenhum técnico, demais colaboradores, ou eu mesmo, recebemos qualquer tipo de remuneração. Significa dizer que, querendo fazer as coisas direito, existe sim gente disponível para trabalhar gratuitamente em prol do Handebol Norte-rio-grandense”, destacou o professor Jorge Fernandes. Sem dúvida nenhuma, o handebol do RN vive um tempo muito especial, que começou com a limpeza na administração de Fúlvio Saulo e, claro, terá continuidade na atual administração do professor Flávio Tinoco.

A luta foi grande para recuperar a FNH dos anos de desmandos, mas agora é trabalho, trabalho e trabalho, segundo todos os que compõem a equipe.