Saúde 13/05/2021 18:11

Entenda a importância da avaliação física para quem quer permanecer na rotina de exercícios

Por admin

Em um país onde mais de 40% dos adultos são sedentários, de acordo com o IBGE, a permanência em uma rotina de exercícios físicos ainda é um desafio. Mas como é possível incentivar que mais pessoas persistam nos seus treinos?
Para o profissional de Educação Física Wesley Pinheiro, professor da academia Pulse, a avaliação física pode ser uma importante aliada ao motivar e direcionar o melhor plano para cada pessoa, de acordo com seus objetivos, experiências passadas e também afinidades.
“Na avaliação, podemos verificar se uma estratégia foi efetiva para o objetivo do aluno”, afirma. “Se não for, ela possibilita criar novas estratégias para deixar o aluno focado para determinada finalidade”, completa Wesley.
Para o profissional, é importante saber o que a pessoa está apta ou não a fazer. “A musculação, por exemplo, pode agravar um problema se for prescrita de forma aleatória para alguém com disfunções”, explica. “A avaliação vai dar a direção para as correções e para toda a estruturação do treino”.
Outro ponto importante é tentar desenvolver os pontos fracos do aluno. “Precisamos saber o volume de exercícios que estava sendo feito até então para montar um novo treino”, diz o profissional.
A academia Pulse oferece a avaliação física tanto para membros quanto para o público externo. Para realizá-la, é importante não consumir bebidas estimulantes ou alcoólicas nas 24h antes. A avaliação deve ser realizada a cada três ou quatro meses para alcançar melhores resultados.
Como acontece
A avaliação é composta por três etapas:
– Anamnese: Classifica o aluno como iniciante, intermediário ou avançado. Busca saber se já houve experiência anterior negativa com exercícios e os motivos pelos quais não conseguiu permanecer. Analisa também qual atividade e intensidade proporcionam mais prazer e se há alguma dor ou incômodo.
– Avaliação postural: Observa os principais pontos alterados e faz uma correlação com os testes de flexibilidade e funcionais (padrões de movimento básicos).
– Testes funcionais/de flexibilidade: Analisa os padrões de elevação dos braços e de agachamento, investigando as alterações para as correções. Observa a flexibilidade, se há encurtamentos que possam estar gerando alterações nos padrões de movimento e possivelmente dores.