Combustíveis 22/10/2021 05:10

Preço do litro do diesel é o mais alto da década

Por admin

O diesel S-10, desde quando passou a ser obrigatório em 2012, nunca esteve tão caro, já descontando a inflação.

O preço médio real alcançou neste mês de outubro R$ 5,033.

O dado foi divulgado nesta quinta-feira, 21 de outubro de 2021, no Monitor de Preços do Observatório Social da Petrobrás.

O valor é 23% maior que toda a média histórica que já pondera os efeitos da inflação.

O diesel S-10, que possui um teor menor de enxofre, deve ser usado obrigatoriamente por caminhões, vans, picapes, ônibus urbanos e ônibus rodoviários.

O peso do diesel frente ao salário mínimo também cresceu. Em dezembro de 2012, o diesel consumia por mês o equivalente a 36% do salário mínimo. Agora, quase a metade, 46%.

Em dezembro de 2012, o preço médio real por mês do diesel, também descontada a inflação, era de R$ 3,679.

Agrava o fato de a inflação estar mais alta, ou seja, o preço do diesel está bem mais alto do que a média do poder aquisitivo de pessoas e empresas.

Quem trabalha com cargas ou transportes de passageiros sente na pele a realidade.

Caminhoneiros autônomos, insatisfeitos, anunciam uma greve nacional para 1º de novembro de 2021.

O problema afeta também grandes transportadoras de cargas e empresas de diversos portes que trabalham com entregas de pequenas e médias encomendas em centros urbanos, que tiveram maior demanda em razão do crescimento do comércio eletrônico.

Empresas de ônibus, que amargaram queda de mais de 80% demanda de passageiros por causa da pandemia, relatam dificuldades de manter a operação.

Sem subsídios públicos aos sistemas de transportes urbanos e metropolitanos, muitas companhias têm entrado em recuperação judicial ou mesmo fechado as portas.

Em muitos sistemas pelo Brasil, as tarifas estão congeladas e são a única fonte de custeio da mobilidade.

Transportadores escolares, a grande maioria formada por pessoas que possuem apenas uma van, sentem também a alta de preços somada ao fato de terem ficado praticamente um ano e meio parados por causa da suspensão das aulas em razão da pandemia.