Transportes 18/12/2021 07:53

Falta de infraestrutura das rodovias brasileiras gera impactos no meio ambiente

Por admin

A má conservação da malha rodoviária brasileira tem acentuado os prejuízos ambientais para a sociedade e especialmente para o transportador. Essa realidade se traduz em aumento de consumo de combustível e desgastes dos veículos, além de mais poluição e viagens mais exaustivas para os profissionais do transporte. A análise faz parte dos resultados da Pesquisa CNT de Rodovias 2021, divulgada pela Confederação Nacional do Transporte no início deste mês.

A Pesquisa mensurou, ainda, o efeito da deficiência da infraestrutura rodoviária no consumo de combustível. Nesse cenário, considerando apenas o diesel, é possível estimar que 956 milhões de litros foram consumidos de forma desnecessária por conta das condições desfavoráveis do pavimento, o que ocasionou uma descarga extra de aproximadamente 2,53 milhões de toneladas equivalentes de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. Seria necessário o plantio de mais de 15 milhões de árvores para neutralizar em duas décadas as emissões advindas do lançamento de gases na atmosfera em apenas um ano.

Se as rodovias estivessem em condições adequadas, esse consumo a mais de combustível poderia ser evitado. O excedente representa um prejuízo financeiro de, aproximadamente, R$ 4,21 bilhões para os transportadores de cargas e de passageiros no Brasil – recurso que poderia ser investido em veículos com tecnologias mais limpas. Assim, tendo em vista que o preço médio do caminhão mais vendido no país é de cerca de R$ 650 mil, a quantia desperdiçada poderia ser utilizada para adquirir 6.477 novos veículos com sistemas mais modernos de tratamento de gases resultantes da combustão.

Os resultados mostram que temos muito o que recuperar nas nossas rodovias para reduzir problemas que causam cada dia mais desperdícios e maior consumo de combustível, além de desgastes de veículos e prejuízos ambientais. Pensar em estratégias de descarbonização, ou seja, em reduzir as emissões de CO2, implica melhorar a infraestrutura da malha rodoviária.

O uso dos dados da Pesquisa CNT de Rodovias acaba incentivando a redução do consumo de combustível fóssil, uma vez que, por meio da verificação dos resultados, o transportador tem a oportunidade de traçar melhores rotas para consumir menos combustível. Além disso, a Pesquisa CNT de Rodovias, a Confederação pleiteia junto aos governos a ampliação e o direcionamento de recursos para a infraestrutura viária do país, visando a manutenção e recuperação de trechos deficientes.

Nesse sentido, as 24 edições do levantamento da malha rodoviária brasileira refletem o comprometimento do Sistema CNT com ações voltadas à sustentabilidade ambiental.