Inflação 03/02/2022 06:53

Crise: juro básico da economia volta a ter dois dígitos após quatro anos

Por admin

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu nesta quarta-feira (2), por unanimidade, elevar a taxa Selic de 9,25% ao ano para 10,75% ao ano – alta de 1,5 ponto percentual.

É o oitavo aumento consecutivo na taxa. Com isso, a Selic voltou ao patamar de dois dígitos pela primeira vez em quatro anos e meio – a última vez em que ela esteve neste patamar foi em julho de 2017, quando era de 10,25% ao ano.

De acordo com projeções de analistas do mercado financeiro, a Selic deve voltar a subir em março, para 11,75% ao ano, e permanecer neste patamar até o fim do ano.

O aumento da taxa básica de juros é o principal instrumento do Banco Central para enfrentar a inflação. A sequência de altas na Selic, portanto, é uma tentativa de conter o movimento de alta de preços registrado nos últimos meses.

A inflação fechou 2021 em 10,06%, maior índice desde 2015. Para 2022, o mercado financeiro já prevê inflação acima dos 5%.

IMPACTO

O aumento da Selic vai impactar nas taxas de empréstimos, cheque especial, financiamento para compra de imóvel ou um automóvel. Se a taxa básica sobe, todas essas outras também vão subir.