Cultura 08/06/2022 13:35

No mês do São João, Alan Persa lança música em homenagem ao Nordeste

Por admin

O cantor e compositor potiguar Alan Persa lançou na última terça-feira, 7 de junho, a música “Filho do Nordeste” nas principais plataformas digitais, e também o clipe da canção no seu Instagram (@alanpersa) e canal oficial dele no YouTube. A nova obra do artista é uma homenagem à região Nordeste do Brasil, destacando e celebrando locais históricos e turísticos dos nove estados nordestinos. Alan se utiliza de rimas e trocadilhos para citar lugares como Maragogi, Canoa Quebrada, Rio Potengi, Praia do Futuro, Porto Seguro, Porto de Galinhas, João Pessoa, os Lençóis Maranhenses, Morro de São Paulo e o Pelourinho, por exemplo.

“Minha principal ideia foi de realmente enaltecer e valorizar a região Nordeste, apresentando 28 localidades durante a música e também citando 20 personalidades nordestinas”, afirma Alan.

A canção traz ainda referências aos grandes nomes da cultura nordestina, como os cantores Luiz Gonzaga, Gilberto Gil, Ivete Sangalo, Chico Science, Djavan, Zeca Baleiro, Lenine, Caetano Veloso, Alceu Valença e diversos outros. Artistas que sempre foram incentivadores e divulgadores das tradições dos estados nordestinos como o cearense Bráulio Bessa e o pernambucano Ariano Suassuna também são lembrandos na música, que é um forró influenciado também por outras vertentes e ritmos que são a cara do Nordeste.

“A música como um todo tem a estrutura semelhante à de um repente, ritmo tradicional nordestino, e aí vou variando os trechos da canção com outros ritmos ligados aos mais diversos lugares da região, como o axé, o xote, o maracatu e até o reggae do Maranhão”, explica o cantor.

O clipe da música foi gravado em diversos pontos turísticos de Natal e da Região Metropolitana da capital potiguar e também em espaços que fazem referência à cultura nordestina.

Confira a letra de “Filho do Nordeste” de Alan Persa:

É que eu sou filho do Nordeste
Sou caba da peste
Terra de trabalhador
E de janeiro a janeiro
É sol o ano inteiro
Da capital ao interior

É que eu sou filho do Nordeste
Sou caba da peste
Terra de batalhador
Só aqui tem ZECA BALEIRO
DJAVAN, LENINE
GIL, CAETANO, ALCEU dispor

O sonho do meu Fusca era SERGIPE
Dar rolé nas ALAGOAS, no mar de MARAGOGI
Assistir o pôr do sol em cima de uma CANOA QUEBRADA nas margens do POTENGI

Ver amigos do passado lá na PRAIA DO FUTURO
Vindo aqui pra capital
Desejar BOA VIAGEM, levar amor na bagagem
E ter uma feliz NATAL

É que eu sou filho do Nordeste
Sou caba da peste
Terra de trabalhador
E de janeiro a janeiro
É sol o ano inteiro
Da capital ao interior

Procurei PORTO SEGURO
E chegando na PARAÍBA conheci o velho João
JOÃO era boa PESSOA
E me ensinou um reggae massa que vem lá do MARANHÃO

Dormindo em LENÇÓIS MARANHENSES
Tive um sonho bem GOSTOSO lá na praia em SÃO MIGUEL
OLINDA mulhé arretada
CEARÁ que ela existia ou era verso de CORDEL?

É que eu sou filho do Nordeste
Sou caba da peste
Terra de trabalhador
E de janeiro a janeiro
É sol o ano inteiro
Da capital ao interior

Rodei pelo PIAUÍ e superei uma BARRA GRANDE
Até chegar em ARACAJÚ
Passando por JUAZEIRO um vendedor, tal de SEU LUNGA
Me mandou tomar cajú

Quase MORRO DE SÃO PAULO
Quando avistei um galo pilotando um navio
Mas era PORTO DE GALINHAS
Com destino a NORONHA, o Caribe do Brasil

Troquei meu Fusca numa ELBA
E aonde a EL”BAHIA” era sucesso total
Aparecia um mói de gente
Só pra ver ELBA passar do lado de CARLINHOS BROWN

E quando chegava IVETE andando de carro velho
Já chamava atenção
Colocava no Chevete BELCHIOR, ZÉ e GERALDO
DOMINGUINHOS, GONZAGÃO

É que eu sou filho do Nordeste
Sou caba da peste
Terra de trabalhador
E de janeiro a janeiro
É sol o ano inteiro
Da capital ao interior

E tava tudo bom à BESSA
Fui até ver uma peça que o ARIANO escreveu
Só que depois da alegria veio a melancolia
O meu carrinho véi morreu

Apareceu um papagaio e ele tava de passagem
Pra curtir lá no Pelô
Então me dá o PELOURINHO
E me leva de carona ao carnaval de SALVADOR

É que eu sou filho do Nordeste
Sou caba da peste
Terra de trabalhador
E de janeiro a janeiro
É sol o ano inteiro
Da capital ao interior

Viajando o meu NORDESTE
Eu fiquei desnorteado com tamanha imensidão
A ruma de lugar bonito
Que num tá escrito nem na Bíblia e no Alcorão

E não importa tua crença, tu será bem-vindo
Aqui é nosso lugar
Dá a CÉSAR o que é de CHICO, acredita em SCIENCE
E venha comigo cantar…

É que eu sou filho do Nordeste
Sou caba da peste
Terra de trabalhador
E de janeiro a janeiro
É sol o ano inteiro
Da capital ao interior

É que eu sou filho do Nordeste
Sou caba da peste
Terra de batalhador
Só aqui tem ZECA BALEIRO
DJAVAN, LENINE
GIL, CAETANO, ALCEU dispor