Economia 19/07/2022 06:55

Sebrae RN e Impacta Nordeste realizam mapeamento de Negócios de Impacto Socioambiental no RN

Por admin

O SEBRAE RN em parceria com o Impacta Nordeste vai mapear os negócios de impacto socioambiental no estado do Rio Grande do Norte para ajudá-los a crescer e ampliar o seu impacto positivo na sociedade. Os dados obtidos com o mapeamento vão contribuir para o desenvolvimento de soluções por parte do SEBRAE RN e Impacta Nordeste, além de contribuir com a construção de políticas públicas no âmbito do CENIS – Comitê Estadual de Investimentos e Negócios de Impacto.

O mapeamento será o primeiro do tipo a ser realizado de forma híbrida, onde os empreendedores poderão participar preenchendo o formulário disponível no site riograndedonorte.impactanordeste.com.br e também por meio de visitas que serão realizadas por agentes do Sebrae/RN em diferentes regiões do estado. O mapeamento terá início no dia 19 de julho e seguirá até 30 de setembro. Os resultados serão divulgados em evento previsto para o dia 15 de novembro.

O Mapeamento Sebrae de Negócios de Impacto Social vai levantar dados e informações estratégicas que são fundamentais para a elaboração de programas e políticas públicas para fomentar o setor. Além de contribuir com a construção de políticas públicas que vão beneficiar o setor, os empreendedores que participarem do mapeamento vão obter diversos benefícios, dentre eles: ter acesso a vagas para programas de capacitação, incubação e aceleração do Sebrae/RN; ter acesso à eventos e oportunidades do Sebrae/RN; ficar em evidência junto a possíveis investidores e parceiros; além de participar da comunidade de empreendedores do Impac ta Nordeste, onde os empreendedores terão acesso a novidades do setor e oportunidades para desenvolver suas empresas.

O que são negócios de impacto socioambiental?
Negócios de impacto socioambiental são empreendimentos com o objetivo de resolver ou mitigar problemas sociais por meio da oferta de produtos e/ou serviços, gerando resultado financeiro positivo, sem depender de doações ou patrocínios. Podem ser classificados como negócios de impacto socioambiental as empresas que possuem os seguintes critérios: intencionalidade de resolução de um problema social e/ou ambiental; a solução de impacto é a atividade principal do negócio; busca de retorno financeiro, operando pela lógica de mercado; e compromisso com monitoramento do impacto gerado.

Para esse mapeamento, podem ser considerados negócios de impacto socioambiental as empresas que atuam em qualquer segmento desde que atendam a pelo menos dois dos quatro requisitos acima, inclusive negócios da economia solidária, economia circular, associações, cooperativas, startups, produtores rurais, ONGs e consultorias. Também é necessário que o negócio esteja formalizado com CNPJ, incluindo MEI.

Alguns exemplos de segmentos que são negócios de impacto: agricultura agroecológica, moda sustentável, cadeia da reciclagem, energia renováveis e tecnologias verdes, tecnologias inclusivas, educação/edtechs, saúde/healthtechs, mobilidade urbana, cidades inteligentes, construções sustentáveis, comércio justo e solidário, entre outros.

Pioneirismo do Rio Grande do Norte
O Rio Grande do Norte foi pioneiro na criação de uma política estadual de investimentos e negócios de impacto social. A  lei nº 10.483, de 04 de fevereiro de 2019, listou os objetivos que fundamentam a “promoção de um ambiente favorável e simplificado ao desenvolvimento de investimentos e negócios de impacto” no Rio Grande do Norte. Por meio da lei também foi criado o  Comitê Estadual de Investimentos e Negócios de Impacto Social (CENIS)  para nortear as atividades e fomentar os negócios de impacto social no RN.

O Sebrae vem liderando os esforços no estado para incentivar essas empresas, que geram lucro e, ao mesmo tempo, ajudam a resolver e/ou a mitigar problemas sociais. No Rio Grande do Norte a organização tem cumprido um papel fundamental na disseminação do conceito e no incentivo a novos negócios, além de ter atuado decisivamente nas articulações para a implementação da Lei nº 10.483. Com vários programas voltados para o setor e com forte atuação no CENIS, a entidade está cumprindo um papel essencial na efetivação das políticas voltadas para os negócios de impacto.